Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Qualquer um sabe que o aluguer de quartos perto das universidades é um bom negócio, os estudantes deslocados precisam de um quarto, as residências não tem sitio para todos e há muitos que se recusam a ir para uma e o negocio é de tal forma ligado ao submundo que são poucas as pessoas que possuem coragem suficiente para perguntar se passam recibo com medo de perder o quarto. E é verdade, este ano inicialmente procurava um com recibo (afinal, 250 euros é metade de um ordenado) ao encontrar um quarto minimamente decente mandava um e-mail com as perguntas habituais, o "tem limpeza?", "quantas pessoas são?" e após obter resposta, o que por norma levava um ou dois dias fazia a derradeira pergunta: "passam recibo?" e nunca mais recebia resposta... Portanto acabei por me conformar e tentar procurar apenas uma casa decente.

O que se revelou bastante complicado, nas fotografias os quartos eram bem bonitinhos e brilhantes, com a mobília do ikea, a janelinha aberta, uma fotografia da sanita muito limpinha, da cozinha impecável e lá ia eu ver o apartamento na esperança que fosse a casa ideal. Geralmente o encanto desvanecia-se quando olhava para a fachada do prédio, verificava a morada e concluía que não havia elevador, e estava completamente abalado quando chegava ao quarto ou quinto andar onde era o apartamento mas o encanto só morria definitivamente quando olhava para o corredor e via seis ou sete quartos com a cozinha ao fundo e uma casa de banho ao canto. Eram as visitas mais rápidas que fazia, entrava olhava para o corredor, via o quarto (que realmente era bem bonitinho e brilhante) , depois visitava as zonas de discussões e desordem, a casa de banho para sete e a cozinha com um frigorífico, por vezes encontrava coisas interessantes como xixas(chichas? Não sei escrever...) e afins meio escondidas em pleno corredor, ria-me, agradecia ao senhor, por vezes apenas por curiosidade perguntava se passavam recibos observava a reacção geralmente atónita da pessoa e ia-me embora imaginando o clima pós-apocalíptico que deveria reinar naquela casa na hora de jantar enquanto descia o sem-fim de escadas.

Estava prestes a desistir e a implorar aos meus pais que me deixassem ir para uma residência, afinal, não tem sentido pagar entre 250 a 270 euros a uns mafiosos para viver numa casa com bem menos condições que uma residência... Quando encontrei um quarto num T3, foi o maior achado da minha vida! Tem elevador, poucas pessoas, imenso espaço no frigorífico e passam recibo! Sim, arranjei um sitio com recibo! Wow! Vou ter que andar um "bocadinho" para chegar à universidade mas pelo menos não vou viver no caos. Se tudo correr mal para o ano candidato-me logo em junho à residência e com sorte em agosto já não tenho problemas destes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:37



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D