Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Netflix passa a vida a me tentar sugerir deles, às vezes acerta, como no caso do Big Mouth, mas outras vezes aquilo vai tão ao lado, mas tão ao lado que doi... 

A ultima serie que me foi recomendada foi "The End of the Fucking World", SPOILERS AHEAD, que basicamente romantiza a psicopatia e dá a ideia de que tu - gaja aleatória - podes transformar um cabrão que te quer matar num bom moço se fugires com ele 1 dia após o conheceres sem destino. Considerando que esta serie foi lançada pouco depois das "13 Reasons Why", que basicamente romantiza o suicídio, começo a achar que a Netflix está a tentar forçar a selecção natural nos jovens de hoje "O que? Estás deprimido e sentes que ninguém quer saber de ti?! Suicida-te e atormenta os bastardos com mensagens post mortem, isso vai ensinar-lhes uma lição!" "Queres um rapaz especial?! Vai ter com aquele ali ao fundo com ar de apagado e come-o, se ele mal falar e não se mexer ou reagir enquanto o comes: Bingo! É o tal! Amanhã foge com ele sem destino e entretanto roubem muito, bebam muito, tu vais mudar a vida dele e faze-lo sentir cenas!" (não vou negar que as 13 Reasons Why tem uma mensagem bem mais forte do que essa, e é importante falar do suicídio, mas romantizar a coisa não é a solução, mas The End of the Fucking World a meu ver é apenas ridículo).

Ou então sou eu que sou bastante céptica em relação a tudo e não entendo o quão boas as series são. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:19

Estava a falar com uma pessoa enquanto a terra tremia "o chão está a tremer ou estou só tonta", enquanto me preparava para dizer "estás é doida", finalmente senti o tremor... Olhei para o estendal e realmente a roupa estava a baloiçar. Fiquei na dúvida se ela tem uma capacidade óptima para sentir o chão a tremer ou se sou eu que tenho os alicerces de tal forma bons que não abano com facilidade.

Podia era ter sido durante o meu exame, talvez assim tivesse acordado mais cedo para a vida...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:22

Atacada pela nostalgia

por Maki, em 13.01.18

Hoje ao vasculhar na minha conta do youtube encontrei um tesouro em bruto, uma banda que não ouvia desde que entrei na faculdade mas que me acompanhou desde o 8º/9º até ao 12º e que definitivamente é das bandas de que mais gosto. 

A primeira musica com que chorei e que ainda hoje não consigo ouvir é deles - Dark Congregation, e nessa altura só tinha medo que tal estivesse prestes a acontecer... Hoje possivelmente ia dar cabo de mim... Ironicamente ouvi durante cerca de 2 anos a musica na boa até que me caiu a ficha (Back in the day my english was terrible).

Tem uma musica que descrevia (e ainda hoje descreve) bastante bem a minha visão do mundo romântico: City Traffic Puzzle.

Também foi uma musica deles que deu origem a um episódio caricato numa aula de psicologia em que o professor decidiu que todos tínhamos que escolher uma musica que descrevesse o que para nós devia ser o amor e obrigou-nos a partilhar com a turma e ficar de pé no quadro enquanto as pessoas a ouviam, quando chegou a minha vez, meti o You're the Moon, o professor ficou ficou fã e quando me fui sentar a gaja que estava atrás de mim disse-me "Estás deprimida? Aquilo é muito negativo." A musica que ela escolheu foi o fucking Creep dos Radiohead... Como é que uma gaja que escolhe o Creep para descrever o que deve ser o amor se atreve a dizer que a minha musiquinha sobre como amar é ver o melhor das pessoas e tentar que elas se apercebam do quão brutais são tem a lata de me chamar deprimida?! Fiquei ofendida. Muito ofendida. Na altura tinha depresão? Não, mas já tinha andado lá perto o que me faz não gostar desse tipo de piadas. Não me lembro do que lhe respondi, mas lembro-me que depois da aula me disseram que tinha sido uma resposta óptima... Ainda hoje não vou com a cara daquela gaja.

A banda já se separou à uns bons anos, os dois vocalistas acabaram por entrar em bandas diferentes, o que de certa forma até foi bom porque deram origem a 2 discos bacanos. A Greta foi para os Gold Motel e o Bob entrou nos Stamps the band, sendo que tenho um carinho especial pelos últimos (apenas enquanto o moço esteve lá), porque no lançamento do álbum (Stamps Ventures of a Lifetime) eles deixaram o pessoal dar o dinheiro que podia pela versão digital do disco ou comprar a versão premium, na altura o meu dinheiro do paypal consistia apenas no que ganhava a clicar em anúncios (geralmente 0.00125$ por anuncio, em casos excepcionais 0.05$) e apesar de me sentir mal por só conseguir dar 2.45$ pelo disco fiz a compra. No dia seguinte recebi o link para fazer o download, fui de férias e quando voltei tinha um envelope proveniente dos USA com o álbum autografado. Nunca tive um momento de fangirling como aquele... O Bob continua a ser o meu maior "celebrity" crush, não por ser todo bom, mas porque tenho a impressão que ele é bastante imprevisível e brutal... O gajo escreveu uma musica com base na viagem que o cão dele ia fazer, ganhou dinheiro com ela e fez com que maior parte das pessoas achasse que se referia a uma gaja, isso é genial e super random, preciso de mais pessoas assim na minha vidinha.

Escusado será dizer que passei o dia a saltitar entre estas 3 bandas, a nostalgia até me levou ao tumblr, mas em relação a isso só vou dizer que o meu sentido de humor não mudou minimamente em 5 anos e que o raio do blog continua a reflectir demasiado bem as coisas de que gosto... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:22

E se não estiver preparada?

por Maki, em 11.01.18

O semestre passou a correr, se tudo correr bem para o ano nesta altura vou estar prestes a começar a tese e a  escapar daquele poço sugador de sonhos e alegrias a que chamam faculdade, mas não me sinto preparada... O meu trabalho de sonho é demasiado bom para mim, as minhas notas são medias, não tenho traços de liderança, o meu currículo só seria útil se eu estivesse ligada às ciências humanas, ainda por cima sou rapariga... Quando for contratada pode ser apenas para preencher as cotas exigidas pelo bom senso e aumentar o rácio mulheres/homens... Ou pelo menos foi isso que grande parte das pessoas pensou ao ver que de 5 com a mesma media só eu é que entrei no curso, eu defendo que foi a minha média nos exames (2 valores superior ao candidato abaixo de mim) que teve mais peso visto que foi o único momento de avaliação em que todos tivemos sujeitos ao mesmo grau de dificuldade... Mas para muitos irá ser sempre por eu ter vagina.

O tempo foge e eu não consigo acompanha-lo. Desde Setembro que tive a ideia para um projecto relacionado com a área em que quero trabalhar, mas só encomendei as coisas para começar a trabalhar nele em Dezembro, e agora que estão prestes a chegar tenho medo. Tenho medo que a teoria base de todo o projecto não se comprove, tenho medo que isso me desanime e me faça questionar se vale mesmo a pena tentar seguir o que quero. Até porque aquilo é demasiado óbvio... Se realmente funcionasse alguém já tinha pegado nisso... Mas pronto, investi 15 euros e vou tentar tirar o maior partido deles.

Nada como ter uma crise de 1/4 de idade em plena época de exames!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:21

Ah o autocarro

por Maki, em 10.01.18

À coisa de 5 anos que uso frequentemente o autocarro para ir a Lisboa, inicialmente para tratar do aparelho depois para a faculdade. Nesses 5 anos conheci 4 pessoas, duas delas da minha idade e com quem falei bastante durante a viagem, também conheci uma senhora mais madura que me ia explicando algumas curiosidades dos sítios por onde íamos passando e como esses sítios a mudaram e um jovem que começou a conversa com "oh! Are you a engineer? You look like one". Em nenhum caso houve troca de contacto, apenas uma viagem bem passada. Sempre que faço uma viagem tenho esperança que volte a acontecer, este é o tipo de interacção que mais me agrada, ao sabermos que não vamos voltar a ver as pessoas acabamos por falar mais e de forma mais aberta. Mas não voltou a acontecer. A minha única companhia tem sido o spotify e caso sinta que o meu estômago aguenta algum episódio, e diga-se de passagem que 4h só com spotify e o meu cérebro em modo depressivo não é algo propriamente agradável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:29

Um dia começo a esmurrar pessoas

por Maki, em 09.01.18

Se há coisa que mexe com o meu intimo são pessoas que só conseguem ter ideias contrárias ou mandar bocas quando estão no conforto do seu lar a kilometros de distância, onde podem simplesmente ignorar as minhas respostas e fingir que não viram, pelo simples facto de não estarem habituados a que pessoas lhes saibam responder no momento e sem floreados. 

Eu sou uma pessoa simples, se alguém me dá uma tacadinha com o intuito de ser cabrita eu respondo como uma mulher adulta, séria, que não diz palavrões e é politicamente correcta. Aaaah como as pessoas odeiam isso. Quase sinto a azia a crescer do outro lado do ecrã. Mas para além de simples também não tenho problema nenhum em confrontar as pessoas à procura de resposta para o tema em que me ignoraram na conversa de grupo. É super interessante ver quão rapidamente ficam sem argumentos e como tentam que o "faz de conta que não (ou)vi" também funcione cara a cara. 

Tenho saudades dos tempos em que trabalhava com pessoas com quem conseguia ter argumentações colossais num tom bacano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

Os primeiros presságios de que algo horrível se aproximava deram-se no sábado, em situações normais teria tomado logo contingências mas não as tinha à mão e não me apetecia sair de casa. Deram-me mais uma oportunidade no domingo, os sinais de que algo ia correr mal foram mais fortes, mas mais uma vez a preguiça venceu. Esta manhã deu-se o derradeiro aviso, mas estava frio lá fora... Por volta da uma da manhã comecei com pontadas e suores frios. O arrependimento apoderou-se de mim e enquanto jovem forte e responsável tomei uma decisão: deitei-me em posição fetal e adormeci, confiei que o meu corpo não me ia trair enquanto dormia porque ambos adoramos fazê-lo. Heis que às 4h acordo. Uma dor colossal percorre o lado direito da minha barriga. Mas estava frio fora da cama, virei-me para o lado, consciente que a hora de encarar as consequências do meu pecado se aproximava e tento adormecer novamente. Os suores frios percorreram o meu corpo, chegara a hora de enfrentar o meu fado, sento-me no trono e sofro como não sofro à muito. O sofrimento foi tal que eu: lontra assassina que não faz exercício a sério à mais de 4 anos fico com os abdominais definidos.

Amanhã vou à farmácia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:07

Passou demasiado depressa

por Maki, em 07.01.18

Parece que ainda ontem era Setembro e para a semana já tenho exames. Demasiados exames. E o meu cérebro está aqui, em negação a achar que ainda tem tempo, super relaxado da vida, descontraído... Não devia! Eu devia estar em pânico! Estou tramada, ainda só consegui estudar decentemente para uma cadeira mas aqui estou eu... Relaxada da vida... Só posso chumbar a mais uma cadeira para continuar a conseguir fazer o curso em 5 anos, mas o meu cérebro continua na boa... Tenho exame com o professor que quero que seja meu orientador na tese, mas ainda não peguei em nada da cadeira dele, o que é chato especialmente tendo em conta que ele me acha super inteligente... Mas o meu cerebro está super chill... Estou a fazer uma lista de coisas pelas quais devia entrar em pânico mas o meu cérebro feliz da vida... Aliás isto até me está dar algum sono... 

Acho que posso oficialmente dizer que o técnico deu cabo do meu instinto de auto-preservação... Se isto continuar assim qualquer dia dou comigo em pleno debate com uma testemunha de Jeová...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:02


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D